Volker Schlöndorff

O cineasta escolhido para o mês de outubro de 2018 é o mestre das adaptações literárias Volker Schlöndorff, um diretor habilidoso e especialista em literatura.

Leitor aficionado, Schlöndorff conta que todas as noites ia para a cama com um livro, e que a literatura é para ele, tão importante quanto o cinema[1]. Ao lado de grandes diretores como Werner Herzog, Wim Wenders e Rainer Werner Fassbinder, Schlöndorff é um membro proeminente do Novo Cinema Alemão dos anos 60 e início dos anos 70.

Cena do filme “O Jovem Törless”

A sua adaptação da obra prima “O Jovem Törless” (Der Junge Törless), de Robert Musil, deu ao movimento Novo Cinema Alemão uma grande visibilidade e em 1996 recebeu o Prêmio da Crítica Internacional no Festival de Cannes.

Cartaz de “O Tambor”

Mesmo tendo ido morar e trabalhar nos Estados Unidos, ele se manteve fiel ao seu país de origem não esquecendo suas raízes literárias[2]. A lista de suas adaptações para o cinema passa por vários grandes nomes da literatura mundial, como: Heinrich Böll, Günter Grass, Max Frisch, Marcel Proust, Robert Musil e Arthur Miller, entre outros.

Durante a Feira do Livro de Frankfurt de 2008 lançou sua autobiografia “Luz, Sombra e Movimento” (Licht, Schatten und Bewegung) onde retrata toda a sua trajetória profissional desde as primeiras experiências como assistente de direção na França, passando por sua mudança para os EUA até seu retorno à Alemanha depois da reunificação do país.

No livro, falo da minha vida e dos meus filmes, mas principalmente da vida. Os filmes estão aí, mas as experiências da vida não são tão nítidas na minha trajetória, porque fiz muitas adaptações literárias para o cinema. Ou seja, meus filmes não foram rodados com uma narrativa em primeira pessoa. Agora fiz isso no livro: narrar em primeira pessoa. – Conta o diretor.[3]

Dicas de filmes

  • O Jovem Torless (Der Junge Törless) • 1966
  • Baal • 1970
  • O Tambor (Die Blechtrommel) • 1979
  • A Lenda de Rita (Die Stille nach dem Schuss) • 2001

Cena do filme “A Lenda de Rita”

Prêmios

  • 1979 – Palma de Ouro em Cannes por “O Tambor”
  • 1980 – Oscar de melhor filme estrangeiro, pela adaptação de “O Tambor”
  • 1996 – Prêmio da Crítica Internacional no Festival de Cannes para a adaptação da obra “O Jovem Törless” de Robert Musil

Todos estes filmes você encontra em nossa filmoteca. Faça-nos uma visita e conheça nossa coleção!
Abraços! 🙂
Aninha
Bibliotecária
Goethe-Zentrum Brasília

Fontes consultadas:
[1]https://www.dw.com/pt-br/volker-schl%C3%B6ndorff-diretor-de-o-tambor-completa-75-anos/a-17521125
[2]https://www.dw.com/pt-br/alemanha-celebra-os-70-anos-de-volker-schl%C3%B6ndorff/a-4129108
[3]https://www.dw.com/pt-br/luz-sombra-e-movimento-schl%C3%B6ndorff-lan%C3%A7a-livro-de-mem%C3%B3rias/a-3722128