Estudar em outro país está no planos de muita gente. Seja para buscar uma instituição de referência em sua área de pesquisa, ter um grande diferencial no currículo ou ganhar uma experiência de vida e tanto, a verdade é que os estudante brasileiros estão cada vez mais arrumando as malas rumo ao exterior.

Segundo uma pesquisa realizada pela Brazilian Educational & Travel Association (que reúne as principais instituições brasileiras que trabalham com intercâmbio), todos os anos cerca de 246,4 mil estudantes deixam o país para fazer cursos no exterior, e mais de 25% deles ingressaram em uma instituição de ensino superior.

Se você faz parte desse grupo, saiba que a Alemanha é um dos melhores destinos. O ensino superior é assunto muito sério por lá. São mais de 400 instituições e, de acordo com o ranking global da Times Higher Education 2018, mais de 40 dessas estão classificadas entre as melhores do mundo. Isso fez do país o queridinho dos estudantes ­internacionais quando o inglês não é a  língua oficial.

Com tantos atrativos, que tal conhecer um pouco mais sobre o ensino superior na Alemanha?

Estudando na Alemanha

Existem três tipos diferentes de instituições: as universidades (Universität – Uni), as escolas superiores de ciências aplicadas (Fachhochschule – FH) e as faculdades de arte, cinema e música (Kunst-, Film- und Musikhochschule).

As universidades não se concentram apenas no ensino, são locais que investem bastante na pesquisa científica. Elas costumam se dividir por áreas de estudo e oferecem uma grande diversidade de cursos.

As escolas de ciências aplicadas têm foco na prática, são cursos técnicos e extremamente voltados para o mercado de trabalho.  As FHs, como são chamadas, não têm variada oferta de cursos e são mais especializadas em engenharia e ciências naturais.

Para os interessados em artes, moda, design, música e cinema, a Alemanha também têm instituições voltadas especificamente para isso. Aqui, as escolas mesclam tanto o conhecimento teórico quanto o prático.

Todas essas instituições oferecem cerca de 19 mil cursos, dos quais por volta de 90% são ofertados em instituições públicas e gratuitas, com exceção de alguns poucos estados, como p.ex. Baden-Württemberg (€ 1.500 por semestre). Existe a oferta de bolsas-auxílio para estudantes estrangeiros para cobrir o custo de vida, que, comparado aos outros países europeus, é relativamente baixo. Alguns dos cursos são ministrados em inglês, mas para se aventurar nas pesquisas e trilhar um caminho mais amplo, é preciso falar alemão.

A maioria das universidades exige que o candidato tenha o idioma fluente ou, no mínimo, o nível B2, que corresponde ao quarto de uma escala de seis níveis de competência do Quadro Europeu Comum de Referência para as Línguas e comprova conhecimento avançado do estudante.

Pode até parecer um desafio, mas os frutos são recompensadores. Venha para o Goethe Brasília e dê início à sua jornada rumo à Alemanha. Nossas aulas experimentais gratuitas já estão com data marcada, você só precisa clicar aqui e escolher o melhor dia e horário. Garanta sua presença, as vagas são limitadas! 

Fontes:

https://www.tatsachen-ueber-deutschland.de/pt-br/dinamico-setor-do-ensino-superior

https://www.goethe.de/ins/br/pt/spr/pqe/osi.html


Se quiser saber mais sobre o sistema de educação alemão, o canal de YouTube Study in Germany tem um video bem legal sobre o assunto: